TIC e EDUCAÇÃO (2017 - 2018)


TIC e EDUCAÇÃO (2017 - 2018)


Tic e Educação

Nesta unidade curricular pretende-se que os estudantes reconheçam a premência e a importância da incorporação das TIC na escola e o papel que a sua exploração pode desempenhar na inovação em educação; avaliem o potencial do software para a criação do(s) contexto(s) da aprendizagem; utilizem ferramentas informáticas de forma inovadora (como suporte da criação de contextos de aprendizagem “novos”); aprofundem a importância do construtivismo/construcionismo como fundamento de um projeto de intervenção pedagógica; aprofundem o papel do meio social e da interação na aquisição, construção e partilha do conhecimento; concebam as turmas como comunidades de aprendizagem em que os aprendizes são os protagonistas; concebam a função do professor como organizador dos contextos da aprendizagem, dinamizador da atividade e agente metacognitivo e como elemento de transformação das rotinas escolares tradicionais; utilizem a Internet como meio privilegiado de recolha e partilha de informação, incluindo software “educativo”.


Programa (2017-18) (pdf)


Rede Webbrain do trabalho

https://webbrain.com/u/1AL2

Alguns equipamentos Android necessitam da instalação do aplicativo TheBrain

Pode obtê-lo livremente no Play Store


Weblogs sobre Educação e cultura digital





Bibliografia

Brazão, P. (2015). A Escola restante e a cultura digital: entre o déjà-vu e os novos ambientes de aprendizagem. In F. Fraga & A. Kot-Kotecki (Org.). A Escola Restante (pp.209-222). Funchal: CIE-UMa. (ISBN: 978-989-95857-6-8).
 Fino, C. N. (2008). Inovação Pedagógica: Significado e Campo (de investigação). In Alice Mendonça e António V. Bento (Org). Educação em Tempo de Mudança. Funchal: Grafimadeira, pp 277-287.
 Fino, C. N. e Sousa, J. (2005). As TIC redesenhando as fronteiras do currículo in Revista Educação & Cultura Contemporânea, 3(2), 53-66 1º Semestre 2005. Rio de Janeiro: Universidade Estácio de Sá.
 Jonassen, D. (2007). Computadores, Ferramentas Cognitivas. Porto: Porto Editora
 Kuhn, T. S. (2004). La estrutura de las revoluciones científicas. FCE Argentina
 Lave, J. e Wenger, E. (1991). Situated learning: Legitimate peripheral participation. Cambridge USA: Cambridge University Press.
 Papert S. (1997). A família em rede. Lisboa: Relógio d’Água, Editores.
 Vigotski L. S. (1999). A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. S. Paulo: Martins Fontes.